Diabetes tipo 2

Etapa 10: Prevenção de complicações no longo prazo

Aprenda a acompanhar o ABC do diabetes: hemoglobina A1c, pressão sanguínea e colesterol. A manutenção desses três fatores em um intervalo saudável pode significar um longo caminho em direção à prevenção de complicações no longo prazo. Para muitas pessoas, a meta é ter uma A1c abaixo de 7%, uma pressão sanguínea abaixo de 130/80 e um nível de colesterol LDL abaixo de 100. Entretanto, essas metas são normalmente individuais e é preciso verificar com o seu médico o que é melhor para o seu caso. Por exemplo, pessoas com doença cardíaca podem ter uma meta de A1c mais alta para evitar baixos níveis de açúcar no sangue. Sua A1c deverá ser verificada no mínimo de 2 a 4 vezes por ano (desde que ela esteja dentro da meta ou próximo a ela). Fique ciente de seus últimos valores. Se a sua A1c estiver acima de 7%, sua pressão arterial acima de 130/80 ou o seu nível de colesterol LDL acima de 100, isso pode significar o momento de tomar alguma ação.

Com o passar do tempo, um controle deficiente do diabetes pode levar a uma variedade de condições graves de saúde, incluindo doença cardíaca, derrame cerebral, cegueira, amputações, doença renal e danos ao sistema nervoso. A manutenção de um estilo de vida saudável e checkups regulares são fatores importantes ao longo da vida de uma pessoa com diabetes.

Doença cardíaca e derrame cerebral

Ao longo dos anos, o diabetes pode ter um grande impacto no coração e nos vasos sanguíneos. O problema precisa ser tratado com seriedade: pessoas com diabetes apresentam alto risco de sofrer ataque cardíaco, derrame cerebral e insuficiência cardíaca. De acordo com a Associação Americana de Diabetes, esses problemas podem ocorrer mais cedo do que em pessoas que não sofrem de diabetes, e são muito mais mortais. Na realidade, a doença cardíaca e as complicações associadas constituem a principal causa de óbito em pessoas com diabetes.

*LEGENDA DA IMAGEM

Um ataque cardíaco ou derrame cerebral pode ocorrer quando uma área de placa (aterosclerose) se rompe, com a formação de um coágulo no local, bloqueando o fluxo de sangue para os tecidos do órgão.

Você pode seguir os passos para minimizar esses riscos:

  • Manutenção da hemoglobina A1c abaixo de 7%, ou em seu valor de meta individual.
  • Manutenção de uma pressão sanguínea saudável: para pessoas com diabetes, isso normalmente significa um valor abaixo de 130/80. Pode haver necessidade de medicação.
  • Teste seus níveis de colesterol regularmente e, se necessário, tome medicamentos para reduzi-los. Seus níveis de colesterol LDL deverão ficar abaixo de 100mg/dl.
  • Não fume.
  • Pratique exercícios físicos suficientes e se alimente corretamente.

Existem várias formas de manter seu coração saudável e reduzir o risco de problemas cardiovasculares ao longo do caminho. Procure seu médico para saber o que pode beneficiar sua situação.

Danos ao sistema nervoso (neuropatia)

O diabetes pode provocar danos aos nervos e uma complicação denominada neuropatia. Ela geralmente começa como uma perda de sensibilidade nos dedos dos pés e, eventualmente, nos dedos das mãos. A neuropatia pode finalmente atingir suas pernas ou seus braços. Os sintomas a serem observados incluem:

  • Formigamento
  • Fraqueza
  • Sensação de queimação
  • Perda de sensibilidade ao calor ou frio
  • Dormência - se o dano aos nervos for suficientemente grande, você poderá não ser capaz de perceber que uma bolha ou um pequeno ferimento ficou infeccionado
  • Queda anormal da pressão sanguínea ao se levantar
  • Problemas de controle intestinal e da bexiga urinária
  • Impotência masculina
  • Deformidade dos ossos dos pés ("pé de Charcot")

Você pode até sofrer um ataque cardíaco e não sentir nenhuma dor no peito.

Circulação deficiente

Se você tem diabetes, existe risco de lesões nos vasos sanguíneos, que poderão ser suficientemente graves para provocar danos aos tecidos das pernas e dos pés. Se os danos ao sistema nervoso também constituem um problema, você pode ser incapaz de perceber eventuais ferimentos em suas pernas ou em seus pés.

Nesse ponto, pequenas infecções também se transformam algumas vezes em lesões profundas dos tecidos, que podem até exigir cirurgia. Em casos extremos pode haver necessidade de amputação de pés ou membros. Um bom cuidado com os pés é importante para evitar problemas.

  • Observe seus pés diariamente.
  • Em caso de dúvidas sobre como cuidar dos pés - calos, dores, como cortar as unhas, quais calçados utilizar - procure seu médico ou educador de diabetes.
  • Informe qualquer problema (como perda de sensibilidade ou sinais de infecção) imediatamente.

Doença renal

Os rins filtram e limpam o sangue. Não surpreendentemente, o excesso de glicose no sangue pode causar lesões a esses órgãos. Com o tempo, isso pode levar à falência renal. Quando isso ocorre, poderá haver necessidade de diálise ou de transplante renal.

  • A doença renal pode ser evitada por meio de controle adequado dos níveis de glicose e da pressão sanguínea.
  • Faça exames de urina e sangue anualmente para avaliar a saúde renal.
  • A ingestão de proteínas deverá ser limitada ao Valor Diário Recomendado (RDA) (0,8g/kg de peso corporal) em pessoas com qualquer grau de doença renal crônica.
  • Observe os sintomas relacionados aos rins: normalmente mudança da coloração da urina, aumento da frequência urinária, dor nas costas, calafrios ou febre.
  • Finalmente, procure saber se a medicação de controle de pressão alta (que também previne doença renal associada ao diabetes) é apropriada à sua situação.

Problemas oculares

O diabetes é a principal causa de cegueira em adultos. A disfunção ocular mais comum no diabetes é a retinopatia. Essa condição é provocada pela quantidade excessiva de glicose na corrente sanguínea, que enfraquece e lesiona os vasos sanguíneos. Um vaso sanguíneo enfraquecido poderá inchar (aneurisma). Algumas vezes vasos sanguíneos adicionais aparecem e poderão até romper, vazando sangue e fluido nos tecidos circunvizinhos (hemorragia). Qualquer uma dessas causas poderá provocar problemas de visão. O diabetes expõe você a um alto risco de desenvolvimento de cataratas e alguns tipos de glaucoma.

  • Faça consulta com um oftalmologista no mínimo uma vez por ano. Mesmo que nenhum problema de visão tenha aparecido, um médico poderá detectar sinais precoces de alerta.
  • Informe seu oftalmologista sobre quaisquer problemas, como visão turva, manchas ou anéis em torno de luzes.

Outras eventuais complicações

  • Doença da gengiva 
  • Infecções respiratórias
  • Infecções do trato urinário
Certificado

Data de revisão: 7/8/2012

Revisão feita por: Nancy J. Rennert, MD, Chief of Endocrinology & Diabetes, Norwalk Hospital, Associate Clinical Professor of Medicine, Yale University School of Medicine, New Haven, CT. Review provided by VeriMed Healthcare Network. Previoulsy reviewed by Ari S. Eckman, MD, Division of Endocrinology and Metabolism, Johns Hopkins School of Medicine, Baltimore, MD. Review provided by VeriMed Healthcare Network. (5/13/2010)

As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.

CNPJ 29.309.127/0001-79
Copyright © 2007-2014, Amil Assistência Médica Internacional S/A. Todos os direitos reservados.