A primeiras semanas do seu bebê

Amamentação vs mamadeira

Amamentação vs mamadeira

Amamentação vs mamadeira

Escolher como e com o que você vai alimentar o seu bebê é uma decisão pessoal que merece uma consideração cuidadosa e atenta. A amamentação é a fonte de nutrição natural para crianças com menos de um ano de idade.

A maioria dos profissionais de saúde recomenda a amamentação natural para o seu bebê durante o primeiro ano de vida (incluindo a Sociedade Brasileira de Pediatria e a Associação Nacional de Médicos e Enfermeiros Pediatras).

O leite materno é a melhor fonte de nutrição durante os primeiros 6 meses de vida. Ele contém quantidades apropriadas de carboidratos, proteínas e gordura e fornece enzimas digestivas, minerais, vitaminas e hormônios necessários para os bebês. O leite materno também contém anticorpos da mãe que poderão ajudar o beber a resistir a infecções.

Especialistas concordam que amamentar o seu bebê por qualquer período, não importando a duração, é beneficial para ele e você.

Você poderá amamentá-lo diretamente nos seus seios ou com uma mamadeira com o seu leite materno.

Amamentando o seu bebê (diretamente nos seios):

  • Pode ser feito apenas por você.
  • Pode ser o único método ou complementado por amamentação por mamadeira.

Alimentando o seu bebê com leite materno (que já se manifestou):

  • Pode ser feito com um mamadeira (por você ou por outros).
  • Exige um bombeamento regular de leite nos seus seios.
  • Exige um manuseio e armazenamento adequado do leite.
  • Exige uma preparação adequada para as mamadeiras e bicos.

A maioria dos médicos aconselha, estritamente, amamentar nos seios durante as primeiras semanas, até que a amamentação se estabeleça, em vez de fazer alterar inconstantemente entre amamentação natural e a mamadeira. Essa recomendação é fundamentada na possibilidade de confusão com os mamilos e bicos, que pode causar problemas de sucção e alimentação em bebês que revezam entre a amamentação nos seios e na mamadeira. Após dois meses de idade, a maioria dos bebês se adapta aos bicos de mamadeira com facilidade.

A amamentação nos seios é uma função natural, porém não é, necessariamente, um instinto natural que se manifesta em todas as mães igualmente. É como aprender a andar de bicicleta. Durante as primeiras semanas, você e o seu bebê poderão sofrer um pouco, e, ocasionalmente, você pode querer desistir. E, então, num belo dia, você começará a pedalar e andar por quilômetros - será tão fácil que você nem entenderá por que teve tanta dificuldade. Lembre-se de que a maioria das mães necessita de informações sobre como alimentar os seus bebês. As mães também precisam de apoio, encorajamento e assistência após o parto para desfrutarem dos momentos de alimentação e cuidados dos seus bebês.

Vantagens da amamentação

Pesquisas indicam que bebês amamentados naturalmente têm menos chances de obter:

  • infecções auditivas,
  • infecções estomacais ou intestinais,
  • problemas digestivos, como intestino preso ou diarreia,
  • doenças de pele (eczema infantil),
  • problemas de alergia (alergias infantis),
  • hospitalizações no primeiro ano de vida e,

além disso, os bebês amamentados podem correr menos riscos de apresentar excesso de peso ou desenvolver hipertensão arterial, diabetes, anemia por deficiência de ferro e cárie dentária. Em comparação com bebês amamentados por mamadeira, os bebês amamentados naturalmente têm QIs levemente maiores.

Mães que amamentam no seio podem desfrutar de:

  • não precisar lavar mamadeiras
  • nem prepará-las,
  • custo menor,
  • perda de peso mais fácil,
  • sangramentos pós-parto reduzidos,
  • fortalecimento do laço único entre mãe e filho,
  • redução nos riscos de câncer nos seios, útero e ovários e
  • redução do risco de diabetes.

As mães que amamentam nos seios deverão:

  • compreender que QUALQUER medicamento que for ingerido poderá contaminar o leite materno e afetar o seu bebê (converse com o seu médico ou consultor sobre lactação para saber quais medicamentos são seguros e não suspenda o uso de qualquer medicamento prescrito sem, antes, conversar com o seu médico),
  • manter uma alimentação adequada,
  • beber bastante líquidos, principalmente água, todos os dias,
  • descansar bastante,
  • cuidar bem dos seus mamilos e seios,
  • relaxar e aproveitar a experiência.

Possíveis problemas

Se você tiver qualquer problema, consulte um consultor de lactação. As mães que amamentam poderão ter:

  • dores nos mamilos,
  • inchaço e vazamento nos seios,
  • reflexo de ejeção (além dos momentos de amamentação),
  • dificuldades em saber quanto leite o bebê está tomando e
  • infecção no mamilo ou seio.

Mães que amamentam os seus bebês poderão se sentir confusas por falta de experiência ou poderão sentir vergonha de perguntar. Entretanto, a maioria dos problema poderá ser facilmente controlada por meio de uma orientação de um consultor de lactação.

O leite de vaca, por si só, não é uma fonte adequada e completa de nutrição para os bebês. Fórmulas preparadas comercialmente para amamentação por mamadeira são fontes adequadas de nutrição para bebês que não mamam nos seios.

Outras características

Algumas circunstâncias poderão alterar os seus planos de amamentação. Como e com o quê o seu bebê vai se alimentar dependerá, principalmente, da condição física dele e da sua saúde após o nascimento. Entretanto, com a ajuda de um consultor, a maioria dos bebês - inclusive bebês prematuros - poderá mamar nos seios.

Alguns bebês não estarão aptos a serem amamentados adequadamente em virtude de:

  • nascimento prematuro,
  • tamanho reduzido,
  • condição física ruim,
  • dificuldade de sucção ou
  • defeitos congênitos na boca (lábio leporino ou fenda palatina).

Consulte o pediatra do seu filho ou um consultor de lactação se você tiver uma infecção, abscesso ou câncer de mama ou outro tipo de câncer, uma cirurgia ou radioterapia anterior ou a oferta de leite seja inadequada (incomum).

Algumas mães são aconselhadas a NÃO amamentar em virtude de problemas de saúde como:

  • tuberculose ativa e sem tratamento,
  • infecção pelo HIV/AIDS (vírus da imunodeficiência humana),
  • lesões ativas causadas por herpes nos seios,
  • desnutrição severa,
  • infecção por hepatite,
  • uso de drogas ilegais ou uso descontrolado de álcool.

Recursos para informações, perguntas ou problemas

Profissionais da área da saúde, como médicos, nutricionistas, enfermeiras e parteiras, poderão responder a perguntas sobre amamentação natural e por mamadeira. Como já foi mencionado, a amamentação não é ,necessariamente, fácil, seja para a mãe ou para a criança. Muitas mulheres são muito beneficiadas por conselhos e dicas de outras, especialmente durante os primeiros dias e semanas após o nascimento do bebê.

Uma fonte excelente é a La Leche League International. Você pode entrar em contato através do número 800-LALECHE e no site www.lalecheleague.org. Eles poderão responder a muitas de suas perguntas sobre como segurar o bebê, o que esperar, e quais desafios você poderá encontrar.

Consultores de lactação são especialmente treinados em estratégias de amamentação. Eles poderão lhe ajudar a entender todo o processo de amamentação. Uma consulta rápida é tudo que a maioria das mães e bebês saudáveis precisam. Um consultor treinado poderá detectar situações especiais que poderão exigir mais tempo ou mais consultas.

Certificado

Data de revisão: 12/9/2012

Revisão feita por: Irina Burd, MD, PhD, Maternal Fetal Medicine, Johns Hopkins University, Baltimore, MD. Review provided by VeriMed Healthcare Network.

As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.

CNPJ 29.309.127/0001-79
Copyright © 2007-2014, Amil Assistência Médica Internacional S/A. Todos os direitos reservados.