Gravidez que requer cuidados especiais

Hiperêmese da gestação

Hiperêmese da gestação

A hiperêmese da gestação é o termo utilizado para náusea e vômito persistente durante a gravidez.

Enquanto mais da metade de todas as mulheres grávidas experimenta alguma forma de enjoo matinal, apenas 1,5% a 2% sofre com a hiperêmese da gestação, uma condição muito mais grave. A hiperêmese frequentemente leva à desidratação e desnutrição, fazendo mais de 50.000 mulheres grávidas irem para o hospital todo ano. É mais comum durante o primeiro trimestre, mas frequentemente continua durante toda a gestação. Felizmente, se diagnosticada em tempo e tratada adequadamente, apresenta pouco risco para você e para o bebê.

A causa exata da hiperêmese da gestação é desconhecida, mas alguns fatores podem incluir:

  • Altos níveis de hCG (gonadotropina coriônica humana). Os níveis desse hormônio aumentam rapidamente durante os primeiros estágios e ele pode acionar a parte do cérebro que controla a náusea e o vômito.
  • Maiores níveis de estrogênio. Esse hormônio também afeta a parte do cérebro que controla a náusea e o vômito.
  • Mudanças gastrointestinais. Durante toda a gravidez, os órgãos digestivos se deslocam para dar espaço ao feto em crescimento. Isso pode resultar em refluxo ácido e esvaziamento mais lento do estômago, que pode causar náusea e vômito.
  • Fatores psicológicos. O estresse também pode debilitá-la fisicamente. A ansiedade que pode acompanhar uma gravidez pode ativar o enjoo matinal.
  • Dieta rica em gorduras. Pesquisas recentes mostram que mulheres com dieta rica em gorduras estão sob maior risco de desenvolver hiperêmese da gestação. O risco aumenta em cinco vezes para cada 15 gramas adicionais de gordura saturada (como um cheeseburger) ingeridas por dia.
  • Helicobacter pylori. Um estudo realizado em Obstetrícia e Ginecologia apontou que 90% das mulheres grávidas com hiperêmese da gestação também estão infectadas com essa bactéria, que pode causar úlceras estomacais.

Mulheres com maior risco de hiperêmese incluem aquelas que passam pela primeira gestação, esperam mais de um bebê, têm menos de 24 anos de idade ou esperam uma menina. Mulheres com histórico de náusea na gestação e mulheres obesas também apresentam maior risco.

Como posso saber se tenho o problema?

Os sintomas são inconfundíveis e, por vezes, até mesmo debilitantes e incluem:

  • Náusea severa.
  • Vômito persistente e em excesso ou vômito súbito. O vômito é considerado excessivo se ocorrer mais de três ou quatro vezes por dia e impedi-la de se alimentar ou beber por um período de 24 horas.
  • Perda de peso de 2 quilos ou mais no período de 1 ou 2 semanas. *
  • Tonturas ou desmaios. *
  • Micção não frequente. *
  • Pele pálida.
  • Icterícia. *
  • Desidratação. *

*(Esses sintomas resultam em desnutrição e desidratação causadas pelo vômito excessivo.)

Seu médico pode fazer vários testes para excluir outras causas possíveis, incluindo:

  • Problemas gastrointestinais.
  • Problemas da tireoide e outros transtornos metabólicos,
  • Problemas hepáticos.
  • Transtornos neurológicos.
  • Gravidez molar.
  • Síndrome HELLP, em casos em que a condição aparece em um estágio mais tardio da gestação.

Seu médico também poderá checar se há sinais de desidratação por meio de testes de urina e sangue.

Como posso tratar?

É importante entrar em contato com seu médico se estiver apresentando náusea severa e vômitos. Se tratada adequadamente, não deve haver nenhuma complicação séria para você ou para o bebê. Seu médico pode lhe dizer se seu caso é leve ou grave. Se for leve, você deverá mudar sua dieta passando a ingerir mais proteína e carboidratos complexos, como nozes, queijo, bolachas e leite. É melhor ingerir esses alimentos em porções pequenas, diversas vezes ao dia. Você também deve evitar alimentos gordurosos, beber muita água e descansar o máximo possível. (Para mais sugestões, consulte nosso artigo sobre enjoo matinal). Seu médico também poderá recomendar antiácidos e antieméticos.

Os medicamentos que seu médico poderá prescrever para casos graves incluem:

  • Anti-histamínicos, que ajudam a aliviar a náusea e o enjoo por movimento.
  • Vitamina B6, que ajuda a aliviar a náusea (se você não conseguir administrar oralmente, o médico pode prescrever uma injeção).
  • Fenotiazina, que ajuda a aliviar a náusea e vômitos.
  • Metoclopramida, que ajuda a aumentar a taxa em que o estômago movimenta o alimentos até o intestino.
  • Antiácidos, que podem absorver ácido e ajudam a evitar o refluxo ácido.

Casos graves de hiperêmese da gestação exigem hospitalização. Uma vez no hospital, você poderá receber fluídos intravenosos, glicose, eletrólitos e, ocasionalmente, vitaminas e outros suplementos nutricionais. Seus níveis vitamínicos também podem ser monitorados, pois mulheres que sofrem essa condição muitas vezes apresentam deficiência de tiamina, riboflavina, vitamina B6, vitamina A e proteínas que se ligam ao retinol. Lembre-se, mulheres grávidas precisam manter um nível muito mais alto de calorias, proteínas, ferro e folato do que mulheres não-grávidas. Seu médico conversará com você sobre níveis insuficientes e como mantê-los.

Drogas antináusea e sedativos podem ser prescritos, e você deverá repousar. Depois de receber fluídos intravenosos (IV) de 24 a 48 horas, você pode estar pronta para ingerir uma dieta líquida e depois passar para refeições pequenas durante o dia. Você será monitorada pelo seu médico depois de deixar o hospital, e será readmitida caso os problemas continuem ou se repitam.

Mulheres com hiperêmese da gestação são incentivadas a trabalhar com um orientador, pois problemas emocionais podem não só contribuir para essa condição, como resultar dela também.

Perguntas frequentes

Laceração de Mallory-Weiss Posso fazer algo para evitar que isso aconteça comigo?

R: Mulheres que começam a tomar vitaminas pré-natais logo no início da gravidez parecem ter menor risco. Uma vez iniciados os sintomas, é importante procurar assistência assim que possível, para que o problema não progrida.

P: Estou sofrendo com um caso leve de hiperêmese da gestação. Vou me sentir mal durante toda a gestação?

R: Para a maioria das mulheres, náusea e vômito são piores entre a sexta e a décima segunda semana de gestação, e esses sintomas diminuem e até mesmo desaparecem na segunda metade da gestação.

P: Existe alguma complicação grave com a hiperêmese da gestação?

R: Complicações são extremamente raras, mas acontecem. A laceração de Mallory-Weiss (laceração da parte cardíaca do estômago devido ao vômito excessivo) e a encefalopatia de Wernicke (uma síndrome relacionada à deficiência de tiamina, que pode causar desorientação, confusão e coma) foram relatadas em alguns casos raros. Abortos são extremamente raros. Na verdade, mulheres com muita náusea e vômitos têm menores taxas de aborto do que aquelas que passam por uma gravidez tranquila.

Certificado

Data de revisão: 12/9/2012

Revisão feita por: Irina Burd, MD, PhD, Maternal Fetal Medicine, Johns Hopkins University, Baltimore, MD. Review provided by VeriMed Healthcare Network.

As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.

CNPJ 29.309.127/0001-79
Copyright © 2007-2014, Amil Assistência Médica Internacional S/A. Todos os direitos reservados.